A arte do encontro

De apenas um encontro nasce uma multiplicidade de outros. Precisamos estar atentos para não perdê-los ou darmos pouca importância quando os essenciais aparecerem. Também termos o coração aberto e acreditarmos na outra pessoa é fundamental para que esses encontros durem e se tornem verdadeiros atores de mudança de nossa breve trajetória nesta vida. É preciso dizer “a satisfação de termos dado o nosso melhor e a prova deste trabalho são as únicas coisas que podemos levar para o túmulo”.

Conheci primeiramente Vambeto quando dei aula a ele na EJA e, anos depois, um pouco melhor, quando corrigi o livro que ele havia escrito durante este longo tempo. Do livro Realidade nordestina, romance autobiográfico neo-regionalista, nasceu a produção Trajetórias – 30 anos depois da greve de Guariba, cuja exibição nesta semana em Américo Brasiliense – SP se deu de forma amistosa , franca e em clima de festa. Numa verdadeira sessão pipoca, turmas de alunos da EJA do Ensino Fundamental, anos inicias, também se encontraram com a gente. Alguns tivemos o prazer de rever.

Esta experiência só foi possível também, pois quem amarrou este laço foi a diretora da escola Paula Scanuela, amiga e apoiadora do projeto. Agradeço sempre a atenção e a organização de tudo.

O co-diretor Sérgio Galvão, amigo de longa data, também esteve presente na sessão e disparou alguns cliques.

Esperamos que surjam novos encontros e a existência, essa roda viva cotidiana, continue a girar e girar…

 

 

 

 

 

Na EMEF João Batista em Américo: estamos sempre muito gratos.

abaixo o link do filme

Anúncios