Trajetórias – 30 anos depois da greve de Guariba

Enfim se chega ao fim de um documentário, pelo menos no que se refere à produção. O caminho que se segue agora depende menos de seus realizadores e mais da vontade de seu público.

O filme está pronto para alçar voos mais altos. Foi um trabalho muito prazeroso mas também muito difícil. A trajetória deste blog diz um pouco do que passamos nestes quase 4 anos de gestação.

Estamos felizes porque o projeto caminha a partir de agora com pernas próprias e também porque é o primeiro documentário em longa metragem sobre o tema do boia-fria, da greve de Guariba e de suas consequências 30 anos depois. Mais um pedaço da história do Brasil está registrado com o acréscimo de uma visão 30 anos depois do episódio desta greve que mudou boa parte das leis relativas aos trabalhadores rurais e colocou no mapa mundial a política industrial da cana de açúcar.

O trailer a seguir é uma fagulha da história do filme. A partir de agora o filme é de todos nós.

Agradecemos a todos que participaram, que abriram suas portas e nos deram o privilégio de poder conhecer um pouco mais da vida de cada um, da história de nossa cidade, região e país e de nossa própria história como indivíduos, pois todo trabalho de investigação, posto sob a ótica cultural, é como uma revelação sobre nós mesmos.

 

Agradeço muitíssimo a Sérgio Galvão pelo trabalho visual; Vambeto, José Nilson e José de Fátima por participarem da pré – produção e produção; e a Carlos Henrique Berg pelo auxílio na edição e, sobretudo, na finalização do filme.

Anúncios