Senta que lá vem a história

Falar sobre sua própria terra é um privilégio e um desafio. Enxergar a própria história pelos olhos de outros pode ser revelador. Afinal esta história compõe outras que compõem uma outra maior: a história de todos nós, de nossa comunidade, de nosso país.

Só assim para nos livrar de muitos de nossos demônios, Tolstoi que dizia ” se queres ser universal, comece por pintar a tua aldeia”

O trabalho fotográfico de Sérgio Galvão vem se unir a esse tornado de idéias: a passagem do tempo matura este processo e, aos poucos, o projeto vai tomando forma definida, uma tentativa de resumir e criar sob a tempestade.

A coleção de fotos da produção Trajetórias: 30 anos depois da greve de Guariba tem dois objetivos: a exposição e o fotolivro. São mais de 40 fotos sobre os personagens que participam do filme, bastidores, locações, natureza.Também são variados os tipos de fotos: retratos, grandes e pequenos planos, detalhes, estradas…

Enfim, o trabalho começa a tomar forma. Zé Bueno e D. Margarida são cidadãos guaribenses há mais de 50 anos. Passam por várias transformações que a cidade protagoniza em nossas vidas. Receberam-nos muito bem em casa na Avenida São João, Bairro Alto ( ou João de Barro), aliás o terreno de fundo dá quase numa das quinas daquele trevo e lembro de revelar ” um lugar muito agradável ” a D. Margarida ao tomar um guaraná Antártica bem gelado providenciado pelos anfitriões gentis.

Batemos um papo com os dois e soubemos de algumas poucas e boas histórias de Zé Bueno quando solteiro e de D. Margarida quando resolveu sair de Berilo e vir pra cá há mais de 50 anos. Falamos sobre a vida a dois, é lógico, da greve de Guariba e do trabalho nas lavouras de cana de açúcar. Foi, sem dúvida, mais um trabalho de descoberta para esse mosaico.

20140902-221204.jpg

Anúncios

5 comentários sobre “Senta que lá vem a história

  1. Em “Espírito de 84″… havia expectativas (e esperanças!), mas essas trajetórias, hein?! D. Dolores, D. Neguinha, Coutinho e D. Margarida… Zé Bueno, Sérgio, Bruno e Vambeto, enfim… Estão uma belezura só! Abraço grande!

  2. Bruno, meu nome é Marcus Leite, sou estudante do curso de jornalismo da PUC’SP e jornalista de uma revista independente chamada C.A.O.S. Nós, da redação, estamos fazendo, desde o começo do mês, uma série de reportagens sobre a Revolta de Guariba, resgatando não apenas os detalhes da resistência operária que ali se desencadeou, mas, principalmente também, o relato de todos aqueles que mantêm uma relação direta com esse caso. Como você está idealizando um interessantíssimo documentário a respeito do Levante, gostaríamos de bater um papo com você sobre o assunto. Topa a conversa? Qual seria o melhor meio para eu te contatar? Muito obrigado pela compreensão. Espero atentamente pela resposta.

    Marcus Leite, revista C.A.O.S

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s